O plano de saúde com coparticipação é uma modalidade de contratação que torna as mensalidades do convênio mais baixa. No entanto, ao escolher a coparticipação, você terá que contribuir com uma porcentagem por cada procedimento realizado.

Apesar de parecer que não vale a pena ou que você estará pagando duas vezes pelo plano de saúde, a coparticipação pode ser muito vantajosa em alguns casos.

Como calcular o valor da coparticipação do plano de saúde

Imagine que você se interessou por um determinado plano de saúde e seu valor sem coparticipação é de R$ 300, enquanto o valor com coparticipação é R$250.

Isso representa uma economia de R$50 mensalmente e de R$600 reais por ano. Agora é necessário avaliar o valor da coparticipação cobrado pela operadora. Supondo que seja de R$ 20, você terá que realizar mais de 30 procedimentos por ano para que a opção sem coparticipação seja melhor.

Considerando que você visite o médico uma vez por mês, um número já bem acima da média, terá uma economia considerável. É claro que existe a possibilidade de uma eventual emergência, porém os casos de internação também têm um teto de coparticipação que é pago apenas uma vez, não pelos dias que você precisará ficar no hospital.

Plano com coparticipação vale a pena?

O plano sem coparticipação é mais recomendado para casos nos quais a utilização do plano é realmente muito maior do que a média. Alguns casos comuns são:

  • Bebês e crianças pequenas
  • Pessoas com doenças crônicas
  • Em tratamento para doenças específicas
  • Idosos

Nos demais casos, onde as consultas e exames costumam ocorrer de forma esporádica, a coparticipação pode ser a melhor opção para economizar.

Quais as regras de coparticipação?

Em 2019 foram propostas algumas regras para tornar a opção de coparticipação mais vantajosa para os beneficiários. Apesar da mensalidade menor, muitos temem que os valores cobrados por procedimentos sejam altos, às vezes preferindo consultas particulares à contratação do plano.

Confira quais são as regras:

  • Fazer com que o percentual cobrado seja o mesmo para todas as operadoras
  • Determinar um valor máximo a ser pago mensal ou anualmente pelo consumidor
  • Poder realizar 4 consultas por ano sem pagar a coparticipação
  • Isenção da contribuição para alguns procedimentos, geralmente os mais complexos como tratamento para o câncer
  • Valores dos procedimentos feitos em pronto-socorro passam a ser únicos

Quais são os planos de saúde com coparticipação?

O mais comum é que a coparticipação seja oferecida em planos que podem ser contratados com um CNPJ. Sendo assim, se você pretende contratar um plano familiar ou individual, é provável que você não tenha como adquirir dessa forma.

Como é calculada a coparticipação?

Cada operadora define o seu valor de coparticipação, porém este não pode ultrapassar 40% dos custos do procedimento. Por isso, não se esqueça de verificar qual é o valor discriminado no seu contrato e se você está de acordo.

Lembre-se que a ANS não permite que as operadoras de saúde cobrem o valor integral do serviço. Caso isto ocorra, não se esqueça de procurar por órgãos responsáveis para obter o ressarcimento.