Saúde & bem-estar
Atualizado: 
Publicado: 
Leitura 
de 4 min
Jorge Luis

Jorge Luis

Psicólogo - CRP-SP 147038

Como controlar uma crise de ansiedade?

mulher com cabeça apoiada em janela, segurando um lenço

A ansiedade é uma reação normal, preparando as pessoas para situações nas quais se sentem ameaçadas, iniciando uma resposta imediata de defesa. Contudo, em alguns casos esta reação é considerada uma patologia, principalmente quando estes mecanismos de alerta são desencadeados de maneira desproporcional.

Segundo dados de 2015 da OMS, 23,6% da população convive com ansiedade, sendo o Brasil o país no qual mais casos ocorrem. Apesar de não existir uma faixa etária com maior incidência, a doença é vista com mais frequência em grupos mais jovens, sendo a oitava incapacitante entre os adolescentes.

O que é uma crise de ansiedade?

A crise de ansiedade é ocasionada pelo sentimento excessivo de apreensão que mantém expectativas altas referente ao que vai acontecer ou o que pode acontecer. É esperado que durante um dia atarefado você se sinta ansioso, porém quando se torna frequente ao ponto de dificultar a execução de outras tarefas do seu cotidiano, a ansiedade deixa de ser uma característica para se tornar um transtorno.

Neste contexto, tenta-se adiar ou evitar determinados eventos ou situações, sendo estas específicas ou não. Portanto, é necessário ressaltar que em alguns casos é possível se deparar com outras comorbidades como: 

  • Síndrome do Pânico; 
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo;
  • Fobia Social; 
  • Fobias Específicas; 
  • Transtorno de Ansiedade Generalizada.

Assim como a depressão, a ansiedade também é mais presente no sexo feminino, sendo que em homens, casos mais frequentes são os de esquizofrenia. Em nível mundial, os números cresceram 14,9% em um período de 10 anos.

Incidência da ansiedade entre os sexos

Quais são os sintomas da crise de ansiedade?

Quando os sentimentos de apreensão dominam a sua mente, consequentemente, surgem sensações como insegurança, medo e descontrole. Neste momento ocorrem os primeiros sintomas. Uma crise de ansiedade pode acarretar:

  • Batimento cardíaco acelerado; 
  • Sensação de garganta fechada; 
  • Suor; 
  • Tremores 
  • Falta de ar; 
  • Sensação de desmaio; 
  • Sentimento de irritabilidade; 
  • Despersonalização; 
  • Medo de morrer.

As regiões que apresentam maior número de casos estão no continente Americano e Europeu, sendo que taxas mais baixas estão na África e Oeste do Pacífico. Porém, a menor incidência pode não ser real e, sim, fruto de uma falta de diagnóstico, visto que recursos de psicoterapia são mais escassos nestes locais.

A ansiedade no mundo

O que fazer durante uma crise de ansiedade?

Quem já teve uma crise de ansiedade sabe o quanto este momento pode ser desconfortável, muitas vezes assustador, principalmente se você está sozinho na rua, escola ou trabalho. Em situações como esta, o medo pode tomar conta, mas algumas técnicas simples podem te ajudar a se recuperar aos poucos.

Para aliviar a crise de ansiedade, preste atenção na sua respiração e tente permanecer calmo, expirando, segurando o ar por alguns segundos e inspirando lentamente. Tentar se distrair e afastar sua mente cada vez mais também pode ajudar. Algumas pessoas cantam músicas em outra língua ou tentam visualizar lugares nos quais se sentem seguras.

Em quais situações é melhor visitar um médico?

Quando a ansiedade começa a se tornar um fator limitante, causando um sentimento de apreensão constante, impedindo de executar tarefas do seu dia a dia, o mais recomendado é procurar a ajuda de um profissional. Os métodos primários mais comuns nessas situações são a psicoterapia e psiquiatria.

Ao visitar um psiquiatra, muitos pacientes se preocupam em ter que iniciar um tratamento medicamentoso. Entretanto, todo caso é avaliado particularmente, sendo que apenas um profissional consegue avaliar qual é a melhor solução para cada um.

Alguns dos remédios utilizados para ansiedade são:

  • Benzodiazepínicos;
  • Clonazepam;
  • Diazepam;
  • Lorazepam;
  • Flurazepam;
  • Oxazepam.

Segundo a revista científica Lancet, um quinto das pessoas que vivem em áreas de conflito, ou seja, 22%, sofrem com depressão, transtornos de ansiedade, bipolaridade e esquizofrenia. Pensando nisso, apesar de assegurar em primeiro lugar a integridade física da população, a OMS também se preocupa em oferecer suporte em casos de saúde mental afetada.

Neste locais, os casos de ansiedade registrados foram: 

  • Condições mais graves: atingem 5% da população em áreas de conflitos;
  • Condições moderadas: atingem 17% da população nestas áreas;
  • Condições leves: estão presentes em 13% das pessoas que vivem em áreas de conflitos.

Como ajudar pessoas com crise de ansiedade?

Para ajudar uma pessoa com ansiedade, solicite que as pessoas se afastem e fale calmamente, mostrando como reduzir o ritmo da respiração inspirando e expirando lenta e profundamente. Tente diminuir o estresse e fornecer mais oxigênio ao cérebro, aumentando a concentração e diminuindo, assim, a sensação de asfixia e incapacidade de respirar.

Mantenha a execução do procedimento para possibilitar o relaxamento dos músculos, se possível retire a pessoa do ambiente aos poucos e leve para o ar livre. Sente-se e converse calmamente e, neste instante, use a imaginação guiada para criar distrações para acalmar, ou seja, pergunte se existe um lugar que a pessoa gosta de estar e peça para que detalhe a cena.

Como tratar a ansiedade?

Manter uma boa qualidade de vida requer equilíbrio físico e emocional, sendo que o portador de um transtorno como a ansiedade pode sentir um desequilíbrio em diversos aspectos da sua vida. Deste modo, é imprescindível buscar um profissional que lhe dê sugestões de como diminuir os impactos.

Países que mais sofrem com a ansiedade

Algumas das opções são o acompanhamento psicoterapêutico ou com um psiquiatra, caso seja necessária uma intervenção com psicofármacos. Porém, alguns aspectos diários também podem impulsionar o tratamento, como uma boa alimentação, exercícios físicos e desenvolver atividades que geralmente lhe dão prazer.

Um tratamento eficaz assistido por um profissional e o comprometimento a longo prazo dos pacientes podem ajudar nos resultados. Isso evita as chances de recaídas e a tendência de que a ansiedade evolua para um quadro crônico.

Leia também: Como criar hábitos alimentares saudáveis?

Existem métodos alternativos para diminuir a frequência das crises?

Uma prática que tem ajudado bastante nos casos de ansiedade é a meditação guiada, também conhecida como mindfulness, técnica que tenta equilibrar as emoções. No entanto, se os sintomas persistirem, procure um psicólogo que utilize a abordagem da Terapia Cognitivo Comportamental, que visa promover ações para situações que evocam pensamentos negativos.

Lidar com a ansiedade é no mínimo assustador, sendo que a falta de informação e os tabus que cercam o tratamento com medicações podem dificultar ainda mais a convivência com a doença. Porém, existem meios eficazes de lidar com este quadro, proporcionando uma vida mais saudável e agradável para quem sofre com o transtorno.

Referências

[1] Transtorno de Ansiedade

[2] Ansiedade

[3] O que fazer para me acalmar durante uma crise de ansiedade?

[4] Qualidade de Vida

[5] Brazil: world leader in anxiety and depression rates

[6] Depression and Other Common Mental Disorders

[7] The Lancet: uma em cada cinco pessoas que vivem em áreas afetadas por conflitos sofrem com condições de saúde mental

Quem escreve

Jorge Luis

Jorge Luis

Psicólogo - CRP-SP 147038

Formado desde o ano de 2018 pela Universidade Nove de Julho, Jorge Luis desenvolveu especializações ligadas ao behaviorismo, estudando temas como psicoterapia analítica funcional e transtornos do humor. Além disso, possui conhecimento na área de recrutamento e seleção, atualmente contribuindo com a empresa BlueShift.