Saúde & bem-estar
Atualizado: 
Publicado: 
Leitura 
de 3 min

Marcos do desenvolvimento neuropsicomotor no primeiro ano do bebê

Mãe brincando com bebê no colo

Engana-se quem pensa que os bebês precisam apenas de leite materno para se desenvolverem. Na verdade, eles têm necessidade de serem amados, embalados e acarinhados. Assim, o conjunto entre cuidado físico e emocional é de extrema importância para o desenvolvimento infantil.

Para entendermos como podemos estimular nossos pequenos, precisamos saber como acontece o desenvolvimento neuropsicomotor no cérebro de uma criança e como ele interfere no crescimento dos bebês. Além disso, também vamos conhecer algumas das principais curiosidades no mundo da pediatria. Confira:

O que é o desenvolvimento neuropsicomotor?

O desenvolvimento neuropsicomotor é o aperfeiçoamento entre o sistema nervoso e muscular da criança, que se reflete na forma como ela interage com o ambiente.

A evolução neuropsicomotora envolve o desenvolvimento das vias motoras, sensitivas, sensoriais, de linguagem, raciocínio e memória dos sistemas nervoso central e periférico.

O aperfeiçoamento indicado está atrelado ao crescimento dos bebês na primeira infância e só finaliza totalmente aos 25 anos, com o final da formação do lobo frontal. Assim, cada pequena ou grande vitória na vida dos pequenos é uma indicação de desenvolvimento neuropsicomotor.

Marcos do desenvolvimento neuropsicomotor no primeiro ano

Para acompanhar o desenvolvimento neuropsicomotor normal dos seus pequenos, é importante ter atenção aos tempos indicados pela medicina para cada um deles ocorrerem. Caso não aconteçam, é indicado acompanhar o crescimento com um pediatra.

A linha do tempo de desenvolvimento neuropsicomotor normal no primeiro ano de vida do bebê é:

  • 1 mês: o bebê costuma sustentar a cabeça momentaneamente;
  • 2 meses: consegue sustentar a cabecinha a 45º em prono, ou seja, quando está deitado com a barriga para baixo;
  • 3 meses: sustenta a cabeça a 90º em prono;
  • 4 meses: sustenta a cabeça em supino, ou seja, de barriguinha para cima, e consegue se sentar, mas ainda com apoio;
  • 5 meses: já tem controle total da cabeça e consegue rolar;
  • 6 meses: consegue se arrastar e se sentar sem apoio;
  • 7 meses: já fica na posição de engatinhar, com quatro apoios, e tem controle de tronco.
  • 8 meses: começa a engatinhar;
  • 9 meses: fica em pé, mas com ajuda ou apoio;
  • 10 meses: já fica em pé sem apoio;
  • 11 meses: faz marcha lateral com ou pouco apoio;
  • 12 meses: começa a atingir a marcha, o que pode levar até os 15 meses para controle total.

É importante lembrar que estes patamares se referem a uma criança nascida de parto a termo, ou seja, após aproximadamente 38 semanas gestacionais. No caso de bebês prematuros, fazemos uma contagem de idade corrigida para que até seus dois primeiros aninhos fora da barriga ele passe a atingir marcos motores e neuronais similares aos não prematuros.

A partir desses dados, os pais e pediatras devem estar atentos a qualquer atraso e/ ou alterações observadas, encaminhando a criança a um fisioterapeuta especializado para uma intervenção precoce e eficaz.

Como incentivar o desenvolvimento infantil?

O cérebro de uma criança desenvolve-se a uma velocidade impressionante nos primeiros anos de vida, abrindo janelas de oportunidades para aprendizados de suma importância que só acontecem neste período da vida.

A melhor maneira de desenvolver as conexões cerebrais das crianças pequenas é dar-lhes o que precisam: um ambiente interessante para explorar, seguro e cheio de pessoas que respondam às suas necessidades emocionais e intelectuais. Estudos mostram que o período de produção máxima de sinapses é entre o nascimento e os dez anos de idade.

Curiosidades do desenvolvimento motor e neural das crianças

É normal que as crianças passem por diferentes fases e experimentações com o mundo externo e com parte do seu próprio corpo a fim de desenvolverem as suas habilidades motoras e neurais. No entanto, nem todos sabem o que cada ação sua pode influenciar no crescimento dos pequenos. Por isso mesmo, aqui estão algumas curiosidades:

1. Visão

Você sabia que um recém-nascido só enxerga com nitidez 20cm à sua frente? Isso acontece pois esta é a distância exata do bebê sendo amamentado até o rosto da sua mãe. Nessa mesma fase, ele ainda acha que é uma extensão da mãe.

2. Mão na boca

Sabe também aquela mãozinha na boca que os pais cismam em cobri-las com “luvinhas”? Pois este ato é fundamental para o desenvolvimento da afetividade, deglutição e fala do seu neném. Deixe-o experimentar as mãos, mas evite qualquer indício de chupar o dedo.

3. Desenvolvimento da fala

Outra curiosidade é que, para os pequenos, é muito mais fácil dizerem “papa” do que mama”. Por isso mesmo, mamães, não fiquem chateadas. Além disso, esta não é uma regra, podendo ocorrer de formas diferentes para cada criança.

4. Desenvolvimento motor

Sabe aquela situação na qual o bebê com 5 ou 6 meses segura o brinquedinho, se diverte, sacode bastante e o brinquedo cai? Na verdade, ele queria mesmo soltar o brinquedo, no entanto, a sua habilidade motora nesta idade só permite “pegar” as coisas. Para que ele consiga “se livrar” do tal objeto, ele precisa sacudir, sacudir e sacudir, até que a sua pequena musculatura entre em fadiga e o faça abrir as mãos. 

Um outro ponto importante de atenção sobre o desenvolvimento motor do seu filho é se ele consegue individualizar o dedinho indicador, apontando para algo. Este é um sinal quase que patognomônico de um desenvolvimento normal.

Com todos esses aprendizados e mais os conhecimentos das sempre sábias avós, chegamos à conclusão que brincar e estimular é o melhor que podemos fazer para os nossos pequenos.

Nathália Meireles

Nathália Meireles

Atualmente trabalhando como responsável técnica pelo Setor de Medicina Física e Reabilitação, assim como pelo Centro de Estética no Ápice Hospital, Nathália também é docente nas universidades Estácio de Sá e Unisuam.