Saúde & bem-estar
Atualizado: 
Publicado: 
Leitura 
de 3 min
Eliane Kobayashi Toma

Eliane Kobayashi Toma

Fisioterapeuta - CREFITO 22881-F SP

Fisioterapia respiratória: o que é e como fazer?

Médico auscultando batimento de bebê

Quando pensamos em fisioterapia, logo remetemos a função ao profissional que cuida da parte motora do nosso corpo. O que alguns não sabem é que é possível melhorar os sintomas causados por problemas respiratórios com alguns exercícios diários passados por fisioterapeutas.

A especialidade de fisioterapia respiratória procura melhorar o sistema respiratório através de exercícios e manobras. As técnicas utilizadas têm um papel importante na prevenção e tratamento de doenças que alteram as funções cardiopulmonares. Por isso, explicamos em quais casos a fisioterapia é recomendada e como fazê-la. Confira:

Quais são as doenças respiratórias mais comuns?

Segundo a OMS, até 650 mil mortes por ano estão associadas a doenças respiratórias. No mundo todo, as doenças que acometem o sistema respiratório ocupam o posto de terceira causa de morte. Dentre as mais comuns que acometem o aparelho respiratório estão:

  • Broncopatias;
  • Pneumopatias;
  • Transtornos respiratórios;
  • Fístula do trato respiratório;
  • Doenças torácicas;
  • Transtorno da motilidade ciliar;
  • Doenças nasais;
  • Hipersensibilidade respiratória;
  • Infecções respiratórias.

Além do tratamento dessas enfermidades, é possível prevenir infecções com exercícios de fortalecimento que auxiliam na fluidez de secreções que tendem a habitar o trato respiratório.

Mortes por câncer no pulmão, traqueia e brônquios

O que é fisioterapia respiratória?

A especialidade consiste em exercícios respiratórios e posturais específicos que ajudam a prevenir alterações que afetam os órgãos responsáveis pela respiração e a manutenção do trato respiratório.

Além disso, o tratamento melhora a oxigenação do sangue, promove a reexpansão pulmonar, auxilia na diminuição do trabalho respiratório, promove a reeducação da função respiratória, o que melhora a entrada e saída de ar pelo sistema respiratório, e auxilia na remoção das secreções.

Como funciona a fisioterapia respiratória?

A fisioterapia respiratória é feita por meio de exercícios e técnicas manuais que são realizadas pelo fisioterapeuta diretamente no tórax do paciente. Dependendo do quadro clínico, há também a possibilidade de usar acessórios respiratórios com a intenção de restaurar o funcionamento natural dos pulmões e melhorar a respiração.

Quem precisa de fisioterapia respiratória?

A técnica pode ser feita em qualquer pessoa que deseja evitar problemas respiratórios e possui benefícios específicos para cada idade.

Fisioterapia respiratória para bebês

A predisposição genética, o ar e a poluição, além das doenças respiratórias típicas da idade, fazem os bebês estarem mais expostos a infecções. Com a fisioterapia respiratória, é possível evitar o acúmulo de secreções brônquicas e prevenir possíveis infecções.

Fisioterapia respiratória para crianças

O sistema respiratório infantil possui particularidades que são desenvolvidas em cada idade, por isso, a fisioterapia respiratória é ótima para diminuir o incômodo respiratório desse processo e melhorar a passagem do ar pelos pulmões.

Fisioterapia respiratória para adultos

Com a rotina cheia e desgastante, é possível que adultos sofram muito com o estresse e isso acaba afetando a imunidade, o que causa muitos desconfortos respiratórios como rinite e bronquite. Os exercícios podem ser feitos frequentemente em casa para aliviar a condição e evitar que qualquer quadro se agrave.

O impacto das doenças respiratórias

Como fazer fisioterapia respiratória?

O fisioterapeuta utiliza exercícios terapêuticos aplicados de acordo com as necessidades dos pacientes, os mais conhecidos são:

  • Técnicas de higiene brônquica; 
  • Reexpansão pulmonar;
  • Fortalecimento dos músculos respiratórios;
  • Métodos de ventilação não-invasiva.

Algumas técnicas têm como finalidade melhorar o sistema respiratório, como:

Tosse Assistida

A tosse assistida tem como objetivo melhorar o sistema de tosse. No exercício, o paciente deve inspirar lentamente antes de tossir, em seguida, deve expirar o ar devagar e forçar uma brusca tosse, o fisioterapeuta deve executar uma compressão moderada durante a tosse aumentando assim a sua eficácia.

Aceleração do Fluxo Expiratório

O fisioterapeuta faz uma aceleração de fluxo expiratório para retirada passiva das secreções. Quando o movimento é feito, acontece um aumento da pressão intrabrônquica o que faz as secreções movimentarem-se até a região central dos pulmões e, assim, ocorre a eliminação através da tosse ou aspiração traqueal.

Percussão Torácica (Tapotagem)

Com as mão em forma de concha, é feito estímulos de forma rítmica dando origem a ondas mecânicas que se propagam do tórax ao tecido pulmonar. Quando feito o movimento, as secreções pulmonares ficam mais maleáveis, o que facilita sua movimentação e expulsão por meio da tosse ou respiração.

É importante lembrar que essas manobras não devem ser feitas sem orientação de um profissional médico.

Número de doenças isquêmicas do coração atribuídas à poluição do ar

A melhora nos problemas respiratórios traz uma qualidade de vida muito melhor para o paciente, além do tratamento é importante a prevenção.

Com a técnica da fisioterapia respiratória, o intuito é melhorar a mobilização das secreções pulmonares, propiciando maior expectoração, melhora da complacência pulmonar e troca gasosa e, em consequência, reduz o desconforto respiratório. Em caso de dúvidas, procure sempre um especialista.

Referências:

[1] O que é a fisioterapia respiratória pediátrica?

[2] Mortes devido à poluição aumentam 14% em dez anos no Brasil

[3] Entenda o que é Fisioterapia Respiratória e as técnicas utilizadas

Eliane Kobayashi Toma

Eliane Kobayashi Toma

Fisioterapeuta - CREFITO 22881-F SP

Eliane Kobayashi é fisioterapeuta pela Universidade Estadual de São Carlos há 22 anos e possui especialização em Fisioterapia Cardiorrespiratória pela USP. Atualmente, atende no Hospital Samaritano de Higienópolis, em São Paulo.