Saúde & bem-estar
Atualizado: 
Publicado: 
Leitura 
de 2 min
Dra Lilian Kanda

Dra. Lilian Kanda

Endocrinologista - CRM-SP 84748

Hipotireoidismo: o que é e como tratar?

Médico examinando tieóide de paciente

Nosso corpo produz e gasta energia diversas vezes ao longo dia, é o seu processo natural. Com a correria do dia a dia, é comum se sentir mais cansado e com pouca disposição. Porém, se o cansaço em excesso e a falta de energia passam a ser uma rotina, é bom ficar em alerta e procurar um profissional para verificar as suas taxas hormonais.

Cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos manifestam algum problema na tireoide. Apesar disso, é importante informar que o hipotireoidismo pode acometer qualquer pessoa, independente de gênero ou idade.

Leia também: O que é pré-diabetes? Sintomas, causas e tratamento

O que é hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é uma disfunção da tireoide que faz com que a glândula não produza hormônios suficientes para o funcionamento do organismo

A tireoide é uma glândula que se localiza na região anterior do pescoço e tem o formato de uma borboleta. Ela é responsável pela produção dos hormônios T4 e T3, que aceleram e atuam em diversas funções cerebrais, cardíacas, intestinais, na pele e no sangue. A tireoide é controlada pela hipófise, uma glândula situada na base do cérebro.

O que provoca o hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é provocado pela queda da produção dos hormônios da tireoide. Em 90% dos casos, a doença é autoimune, ou seja, o organismo produz células de defesa que acabam atuando contra o próprio organismo, chamada de Tireoidite de Hashimoto.

Cerca de 2% da população mundial é atingida pelo hipotireoidismo, com prevalência maior em idosos, pessoas que tenham os anticorpos anti tireoidianos presentes e em mulheres, onde a incidência chega a ser até 10 vezes maior que em homens.

São categorizados dois tipos de hipotireoidismo, sendo eles:

  • Hipotireoidismo primário: é causado por problema na tireoide, o que resulta em deficiência na síntese e impede a secreção de hormônios;
  • Hipotireoidismo secundário: acontece pela disfunção na hipófise que prejudica a secreção do TSH e, por consequência, inibe a produção do triiodotironina (T3) e tiroxina (T4).

Quais são os sintomas do hipotireoidismo 

A falta do hormônio tireoidiano atinge as funções do corpo, que podem ser feitas de maneira mais lenta e facilmente confundido com outras doenças. Os principais sintomas decorrentes da falta do hormônio tireoidiano, podem levar a:

  • Ganho de peso;
  • Queda de cabelos;
  • Falta de memória;
  • Lentidão mental;
  • Intolerância ao frio;
  • Cansaço;
  • Batidas mais lentas do coração;
  • Inchaço;
  • Prisão de ventre, digestão lenta,
  • Alteração no colesterol e pressão arterial;
  • Depressão.

O diagnóstico é feito por meio de exames de sangue e físico, através da dosagem dos hormônios TSH e T4, em que o TSH, que é o hormônio hipofisário, está elevado e o T4 geralmente com tendência a redução. No exame físico, geralmente a tireoide tem características inflamatórias, estando mais firme ao toque.

Como tratar o hipotireoidismo?

O tratamento é simples, com a ingestão diária de comprimidos de hormônio tireoidiano, o T4 (levotiroxina), que tem maior estabilidade. Este medicamento deve ser ingerido diariamente, longe das refeições, após prescrição de um médico endocrinologista.

Seguir o tratamento correto permite que as pessoas tenham a vida normal. O não tratamento da doença pode reduzir a performance física e mental do adulto, além de elevar o risco cardiovascular.

Quem escreve

Dra Lilian Kanda

Dra. Lilian Kanda

Endocrinologista - CRM-SP 84748

Dra. Lilian Kanda é formada pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Ainda, é especialista em clínica médica, metabologia e endocrinologia pela UNIFESP, além de possuir mestrado em endocrinologia clínica, com tese em diabetes gestacional.