Plano de saúde
Atualizado: 
Publicado: 
Leitura 
de 3 min

Thais Piola

Redação jornalística

Como escolher um plano de saúde em 8 passos

O melhor plano de saúde é o que melhor atende às suas necessidades. Assim, é necessário avaliar qual a sua utilização do convênio. Se você não costuma viajar, por exemplo, não é necessário um plano de abrangência nacional ou internacional. Ao mapear o que você precisa em relação ao que as operadoras têm a oferecer, você encontrará o plano de saúde ideal para você.

Como sabemos que esta não é uma tarefa fácil, fizemos um passo a passo para você conseguir validar quais são os pontos mais importantes para você. Assim, fica rápido encontrar um plano de saúde com o melhor custo-benefício junto ao corretor. Descubra os principais passos para escolher seu convênio médico.

1. Descubra o que você quer

O primeiro passo pode parecer óbvio, mas muitas pessoas esquecem de avaliar suas reais necessidade com um plano de saúde. Assim, é preciso entender o que você precisa em relação à cobertura, rede credenciada, valores de reembolso e, claro, qual faixa de preço está disposto a pagar. Entender isso vai te dar uma visão mais objetiva diante de tantas opções.

2. Entenda como o plano de saúde funciona

Entender como funcionam é importantíssimo para encontrar o melhor plano de saúde. Para isso, você pode mergulhar nos conteúdos de comparação entre eles e nos detalhes que você precisa se atentar ao cogita-los. Tire todas as suas dúvidas sobre convênios e anote todos os pontos que mais te chamaram atenção.

3. Avalie qual o melhor tipo de cobertura

Quando pensamos em melhor custo-benefício, é necessário avaliar qual o melhor plano de saúde para você, mas que seja o mais econômico. Uma forma de fazer isso é através dos tipos de cobertura e rede credenciada. Para isso, entenda quais os hospitais que você costuma usar. Se são poucos, regionais ou menores, você pode encontrar o melhor plano para você em uma categoria mais acessível.

Se você quer um plano de saúde que atenda o seu município, você poderá contratar um plano regional, que costumam ser mais baratos. Caso você seja um viajante e ame ir para outros países, o plano nacional e internacional provavelmente é o que mais terá a sua cara. Por isso, considere as modalidades e os benefícios oferecidos pelo plano e veja quais se encaixam melhor no que você procura.

4. Conheça as operadoras de saúde

Sabendo todos os tópicos acima, você já consegue mapear o que você vai investigar. O próximo passo é começar a avaliar as operadoras e seguradoras disponíveis. Para encontrar a opção certa para você, investigue os sites das empresas e veja as plataformas de reclamações e comentários sobre cada marca. Assim, fique atento para os seguintes pontos:

  • Ranking de operadoras pela ANS feito anualmente pela ANS;
  • Avaliações dos planos segundo os clientes, também pelo site da ANS;
  • Nota da operadora em plataformas de reclamações;
  • Situação financeira da operadora que pretende contratar;
  • Também confira se a empresa não está com nenhuma ação judicial.

Essas informações são importantes para saber como anda a operadora ou seguradora que você deseja contratar. Quanto melhor as avaliações e menores os problemas financeiros, menor a chance de você ter questões desagradáveis com o plano contratado.

5. Analise a rede credenciada

Você tem laboratórios, hospitais ou especialistas em mente? Independente do motivo que eles estejam na sua lista, busque planos que contenham esses locais e profissionais em sua rede credenciada. Esse é um passo importante para definir qual o plano ideal para você. Mais importante do que a quantidade de hospitais contidos na rede contratada, tenha certeza de que ela conte com opções de qualidade para te atender.

6. Leve em consideração as opções de reembolso

Se você pretende utilizar um serviço, médico ou hospital que pode não estar coberto pela operadora ou seguradora, você terá de arcar com as despesas. Com esses extras, o gasto com saúde será maior do que o esperado. O reembolso não é obrigatório e, por isso, alguns planos não o oferecem, então fique atento.

Se você costuma ou pretende utilizar serviços fora da sua rede, tenha em mente uma média que você gasta por consulta e tratamento. Assim, procure por planos com reembolsos que cubram boa parte dessas despesas. Cada empresa oferece um valor diferente, podendo ser um preço fixo ou um percentual sobre o valor da consulta, por exemplo.

7. Confira os serviços adicionais

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é o órgão que regula as obrigatoriedades das operadoras e seguradoras de saúde. O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde é o documento lançado para demonstrar publicamente quais serão os serviços cobertos pelos planos, o mínimo a ser oferecido. 

Para garantir o seu diferencial no mercado, muitos deles oferecem coberturas adicionais para tornar o plano melhor e competitivo. Identificar esses planos de melhor custo-benefício, com mais serviços e preço compatível, te ajudará a escolher o melhor plano de saúde.

8. Solicite uma cotação para um corretor

As operadoras não vendem seus planos, sendo assim, é necessário contar com a ajuda de um corretor ou servidor que tenham vínculos com as empresas. Assim, encontre um profissional de sua confiança, avalie se você escolher a melhor opção de plano para você, solicite um orçamento. Então, o profissional irá cuidar de todas as papeladas para o seu contrato.

Sobre a autora

Thais Piola

Thais Piola

Redação jornalística

Sou bacharela em Biologia mas decidi mudar meus rumos profissionais e mergulhar em novos desafios. Por destino, acabei me encontrando na área de comunicação. Para mim, o que mais me conquista, é conseguir dar acesso à informações e conhecimentos de forma simples, com qualidade e contribuir para o pensamento crítico dos leitores.