A busca pela contratação de um plano de saúde tem sido cada vez maior, o que é muito compreensível, visto que utilizar o SUS está cada vez mais complicado e consultas particulares podem ser bem caras. Se a sua vontade de contratar é grande, mas você tem esbarrado em valores altos, fique calmo pois existem soluções para economizar.

Entendemos que contratar este serviço pode significar um grande comprometimento na sua renda, mas atualmente um convênio médico se tornou uma necessidade básica. Para te ajudar, elaboramos um passo a passo com tudo o que você precisa saber para encontrar um plano de saúde barato e fazer uma contratação certeira.

1 - Faça uma pesquisa das operadoras

Os planos de saúde são produtos que exigem uma certa atenção e tempo de pesquisa antes da contratação, mas pela importância que ele terá na sua vida, garantimos que essa dedicação vale muito a pena. 

Para ter mais segurança, procure saber mais sobre as operadoras por meio dos sites oficiais, mas não esqueça de levar em consideração as opiniões das pessoas que contrataram os planos, olhando em lugares como o Reclame Aqui e o site da ANS.

Uma maneira de filtrar as melhores operadoras é conversar com pessoas conhecidas que já possuem plano de saúde. Pergunte se ela está satisfeito com a rede credenciada e como tem sido a experiência. O boca a boca pode fazer muita diferença na hora de escolher a melhor opção de plano para você.

2 - Coloque os custos no papel

Se você quer economizar com um plano de saúde é crucial saber o quanto você está disposto a investir. Delimite um valor realista sobre o quanto você pretende e pode gastar sem comprometer o seu orçamento mensal.

Outra dica é tentar mensurar os seus gastos mensais com procedimentos relacionados à saúde. Colocar tudo isso no papel pode deixar mais claro qual é o seu perfil de gastos com saúde, ajudando a escolher um plano de acordo com o seu perfil.

3 - Defina quais serviços você realmente precisa

Para ter um plano de saúde barato, é preciso estar atento a quais tipos de serviço você realmente precisa ter acesso. Homens não precisam de serviços de obstetrícia, por exemplo, o que torna os planos mais em conta. Ao mesmo tempo, se você frequenta apenas os hospitais próximos à sua casa e raramente viaja para fora do país, dificilmente irá utilizar a assistência internacional.

É comum que planos premium ofereçam serviços diferenciados que podem encher os olhos de qualquer um, mas não se engane, isso também eleva bastante o valor da contratação. Se o seu objetivo é contratar um plano de saúde barato, foque no custo-benefício, separe todos os planos cujos serviços são de seu interesse e organize do maior para o menor preço.

4 - Liste as suas necessidades

Agora é a hora de pensar quais serviços são indispensáveis para você, mas seja realista. Se algo em particular te chamar atenção, mas você simplesmente não utiliza, talvez seja melhor deixar de fora da lista. 

Para ajudar, faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  • Quais hospitais eu sempre vou?
  • Tenho alguma condição médica que exige acompanhamento?
  • Com qual frequência eu vou ao médico?
  • Vou incluir dependentes no meu plano?
  • Os dependentes do meu plano necessitam de cuidados especiais (crianças, idosos etc)?
  • Minha família tem histórico de alguma doença específica?
  • Eu viajo muito e preciso de assistência em outros estados ou até mesmo no exterior?

5 - Escolha os detalhes

Agora é a hora de decidir os detalhes da sua contratação, sendo que cada escolha pode ter influência direta no preço. Se você optar por ter um quarto privado irá pagar um valor mais alto em relação à opção compartilhada, por exemplo.

A coparticipação também reduz o valor das mensalidades, porém só funciona para aqueles que não têm uma utilização tão frequente do plano, visto que é necessário contribuir com uma porcentagem das consultas. Basicamente, estes são os pontos principais com influência no preço aos quais você deve se atentar.

Melhores planos de saúde
  • Modalidade: individual, adesão ou empresarial;
  • Acomodação: familiar ou individual;
  • Coparticipação: pagar uma mensalidade fixa ou contribuir com uma porcentagem das consultas;
  • Cobertura: regional, nacional, internacional;
  • Tipo de plano: ambulatorial ou hospitalar;
  • Acréscimos: com ou sem obstetrícia.

O plano de saúde barato e que te atende bem não é uma lenda, com organização e tempo para pesquisar é possível fazer uma contratação que te deixe seguro sem comprometer muito a sua renda.

Pronto para encontrar o seu plano ideal?

Agora que você já sabe tudo sobre planos de saúde, te ajudamos a encontrar a opção certa para você

Encontre meu plano ideal