Plano de saúde
Leitura
6 min
Atualizado:
11/14/2019
Publicado:
11/5/2019
Deisi Gois

Redação jornalística

O guia dos 20 e poucos anos para contratar o plano de saúde ideal

Você pode achar que esse é mais um daqueles posts sobre “verdades sobre a vida adulta que ninguém nunca te contou”. Bem, talvez seja, mas além disso, na Zelas Saúde também queremos oferecer soluções viáveis em uma época que é normal se sentir desorientado.

A vida adulta traz consigo uma série de novas responsabilidades e aquela pilha de boletos que você nem sabe de onde vêm, mas do nada aparecem. Também é a hora de finalmente criar asas e sair do convênio médico que seus pais bancaram a sua vida inteira.

Imagine além de todos esses gastos, ficar doente e ter que gastar uma fortuna? Então fique atento, pois temos dicas preciosas sobre como contratar seu primeiro plano de saúde ideal. Confira!

Até quando posso utilizar o plano dos meus pais?

Tudo isso depende do contrato firmado entre o contratante e a operadora, então talvez seja hora de pedir aos seus pais para dar uma olhadinha nas cláusulas e, sim, eles vão achar isso estranho. Se você é dependente do convênio médico que seus pais ganham da empresa, é comum que eles não imponham idade limite.

Em outros casos, a regra é a mesma estipulada pela receita federal. Você pode permanecer como dependente até os 21 anos ou até os 24, caso esteja cursando o ensino superior. Filhos com necessidades especiais não tem idade limite.

Sim, a realidade finalmente bateu na sua porta, mas isso não quer dizer que você só precisa contratar assistência médica quando tiver a família de comercial de margarina e a casa com cerca branca. Para chegar até lá, ou onde quer que você queira chegar, a saúde deve estar sempre em primeiro lugar.

Eu realmente preciso de um plano de saúde?

Quando as contas acumulam e o dinheiro é mais escasso, devemos priorizar o que realmente é necessário. Talvez você nem vá tanto ao médico e um serviço como esses custa mais do que economizar aquele bar com os amigos.

Mas pense bem, caso ocorra alguma emergência, você está preparado para lidar com os altos custos dos hospitais e as longas filas do SUS? Sim, isso não é um mito para vender planos de saúde, alguns pacientes esperam até três meses por uma consulta com um especialista e uma cirurgia pode chegar a 20 mil reais, sem contar os custos com a internação.

E, afinal, gastar aquele dinheiro reservado para o seu mochilão na América do Sul em uma emergência médica não está nos seus planos, não é mesmo? Então que tal dividir as suas economias e separar uma parcela para manter-se mais seguro?

Como eu faço um plano de saúde?

Agora que você já pesquisou no Google, descobriu que existe uma infinidade de tipos de convênios. Além disso, se deparou com termos que você nunca ouviu falar na sua vida, mas tudo bem, isso é normal.

Neste momento você pode estar em duas situações, ou você nunca teve plano de saúde e quer contratar pela primeira vez, ou já teve mas tudo isso era problema dos seus pais. Seja qual for o cenário, eu tenho certeza que você está com um pouco de dificuldade por onde começar, mas estamos aqui para segurar a sua mão.

Você é jovem, isso é bom e mais barato

Os planos de saúde são divididos por faixas etárias. A lógica é que quanto mais velho você é, mais você precisa de serviços de saúde e, consequentemente, isso irá elevar os preços aplicados pelas operadoras.

Provavelmente você se encaixa na segunda, terceira ou quarta faixa etária, que engloba os intervalos de 19-23, 24-28 e 29-33 respectivamente. Para as empresas, você é jovem e saudável, o que representa menos risco, o que te dá a flexibilidade de escolher empresas melhores por um bom preço.

Saiba quais contratações estão disponíveis para você

Se você não deu a sorte de conseguir aquele emprego dos sonhos que oferece plano de saúde, ainda existem algumas opções para você se manter seguro e independente dos seus pais.

Se você é autônomo, contrate através de um CNPJ

As pessoas começam a empreender cada vez mais cedo, o que faz com que você precise de um CNPJ. A vantagem de contratar desta forma é que a maioria das operadoras trabalha apenas com contratos coletivos, o que exige que você tenha um CNPJ.

A desvantagem é que você vai precisar de um número mínimo de pessoas, que varia de duas ou três, dependendo da operadora. Mas não precisa desistir só por isso, que tal chamar aquele amigo que está na mesma situação e rachar os custos do plano de saúde?

Se você é freelancer, que tal fazer um MEI?

O mercado de trabalho não está nada fácil e a ocupação como freelancer tem se tornado cada vez mais comum. Desta forma, emitir um MEI te ajuda na declaração de imposto e na emissão de notas fiscais para os seus clientes, além de ajudar a dar mais credibilidade para o seu negócio.

Se você é um microempreendedor individual (MEI), também é possível realizar a contratação de um plano de saúde, assim como quem possui outros tipos de CNPJ. A vantagem é a mesma, como o acesso às melhores operadoras, mas também é preciso incluir ao menos duas ou três pessoas como dependentes.

Faça uma contratação em uma operadora individual

Você não tem nenhum tipo de CNPJ e acha que a sua chance de contratar um convênio médico está completamente perdida, mas calma, também existem empresas que comercializam plano de saúde individual. A grande vantagem é contratar só para você utilizando o seu CPF.

Contudo, é preciso ter em mente que a maioria dos planos pessoa física possuem cobertura regional, ou seja, limitada a grupos de municípios. Outra vantagem é o preço, mais baratos que as operadoras que oferecem apenas contratações em grupos.

Contrate através da sua profissão ou como estudante

Se nenhuma das opções acima se encaixa no seu perfil, ainda tem uma última chance de você adquirir o plano de saúde ideal. Com uma administradora de benefícios, você pode contratar um convênio médico através da sua profissão ou, até mesmo, se você é estudante.

Para isso, você precisa ser filiado a algum sindicato ou à União Nacional do Estudantes. Apesar de ter acesso a bons planos de forma individual, prepare-se para pagar, além da mensalidade do plano, a taxa da administradora e taxa do sindicato.

Qual o plano de saúde ideal para um millennial recém-saído da casa dos pais?

Agora que você já sabe quais são as contratações disponíveis para o seu caso, está na hora de decidir quais são as suas necessidades. Eu sei, nem sempre é fácil saber o que precisamos, mas nos casos de planos de saúde isso é relativamente simples.

O jovem emancipado (entre 19 e 23 anos)

Você não precisava sair do plano de saúde dos seus pais, mas resolveu dar este grito de independência e jogar a vida adulta no modo difícil. Pode ser também que esteja buscando pela primeira vez, já que acredita que arcar com uma despesa médica surpresa é um grande risco.

Você ainda está se estabelecendo financeiramente, então o preço é um grande fator de decisão. Por isso, talvez seja melhor começar pelos planos individuais com atendimento próximo à região que você mora. É provável que você não precise de centros de tratamentos especializados, então consultas de rotina, exames ocasionais e internações em caso de emergência são o suficiente para você.

Algumas sugestões são:

Ir para a balada ou ficar em casa vendo série? (entre 24 e 28)

As coisas parecem estar se acertando para você, se é que você ainda não se formou, está a caminho disso. O trabalho vai bem e aquelas ligações constantes para os seus pais para pedir dinheiro emprestado estão se tornando cada vez menos frequentes.

Você ainda precisa economizar, é claro, mas agora já pode ser mais ousado em suas opções e talvez aquele MEI que você fez para ganhar uma grana extra como freelancer ajude. Você quer custo-benefício, acompanhamento mais completo da saúde, afinal, ninguém tem 20 anos para sempre, e a sensação de segurança em casos de emergências.

Essas são algumas opções que você tem no mercado:

A caminho da vida adulta - seja lá o que isso significa (entre 29 e 33)

É possível que a sua carreira e situação financeira já estejam melhor estabelecidas nesta idade, o que possibilita que você escolha planos de saúde um pouco mais completos. Talvez você até esteja pensando em começar uma família, então um plano que atenda bem a todos parece cada vez mais interessante.

Se você tem algum tipo de CNPJ, melhor ainda. Se não, talvez as taxas de planos de saúde por adesão não sejam tão pesadas nessa fase da vida. Você quer fazer seus check-ups, garantir que a saúde vai bem, consultar especialistas e já pensa na possibilidade de precisar incluir dependentes.

Algumas sugestões são:

Escolher o seu plano de saúde ideal não tem nada de careta. Esta é a garantia de uma vida mais saudável e independente. Eu sei, é um boleto a mais para pagar, mas garantimos que é um que realmente vale a pena.

Sobre a autora

Deisi Gois

Redação jornalística

Sou formada em jornalismo e, apesar do romantismo pelas antigas redações, minha praia sempre foi a internet. Há mais de um ano trabalhando com produção de conteúdo voltado para área de saúde, acredito que informação pode ser empoderadora e realmente oferecer uma experiência de compra diferenciada. Hoje integro a equipe de conteúdo da Zelas Saúde, onde estamos a passos largos mudando a relação do mercado com seus consumidores.